Início Ciência Está explicado porque temos sempre uma narina mais entupida do que outra

Está explicado porque temos sempre uma narina mais entupida do que outra

COMPARTILHAR

Quando estamos constipados, há sempre uma narina que fica mais entupida do que a outra. E, muitas vezes, ao longo do dia, esse entupimento vai alternando entre uma narina e outra. Não é uma mera coincidência! É um processo fisiológico que assegura a saúde do nariz.

A explicação está no chamado Sistema Nervoso Autónomo que controla funções como a digestão e a frequência cardíaca, que se realizam sem que estejamos a pensar nelas.

No caso do nariz, o Sistema Nervoso Autónomo assegura o que se chama de “ciclo nasal”, ou seja, o “ritmo natural de congestão e descongestão das cavidades nasais nos seres humanos”, como se explica no site Infoescola.com.

Assim, quando uma narina está entupida há “um congestionamento fisiológico da concha nasal”, devido à activação selectiva de uma metade do Sistema Nervoso Autónomo pelo hipotálamo”, acrescenta-se na mesma publicação.

O processo passa por um “crescimento do fluxo sanguíneo” que provoca “a congestão numa narina, durante cerca de três a seis horas, antes de mudar para o outro lado”, segundo nota a médica Jennifer Shu, num consultório médico da CNN.

Mas mesmo sem estarmos constipados, as narinas vão alternando o esforço exigido pelo ciclo nasal. Isto significa que, a cada duas a quatro horas, uma delas vai “trabalhando” mais, deixando passar mais ar, do que a outra, mesmo sem que nos apercebamos disso.

Este funcionamento alternado das duas fosses nasais impede “uma secagem excessiva, crostas e infecções, que são resultados da passagem que está aberta ao fluxo de ar constante, especialmente em regiões do deserto”, explica ainda o Infoescola.com.

Deste modo, o processo mantém o nariz a funcionar na sua plenitude para desempenhar funções importantes como filtrar as partículas que se encontram no ar inalado, para que este chegue aos pulmões mais limpo, e ajustar a temperatura corporal.

Todavia, esta alternância do esforço entre narinas será também uma forma de refinar o nosso sentido do cheiro. “Alguns cheiros são mais fáceis de identificar nas correntes de ar mais rápidas na narina “aberta”, enquanto outros são melhor detectados nas correntes de ar mais lentas da narina “constrita””, refere o investigador Anthony Warren, CEO da empresa BreatheSimple que fornece um programa de treino personalizado de saúde respiratória, através de um software para telemóvel.

Da próxima vez que tiver o nariz entupido, vai certamente pensar na situação de uma outra forma, à luz destes dados, mesmo que este conhecimento não alivie o incómodo.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

12 − 1 =