Início Ciência Os dentistas cheiram o seu medo (e isso é mau)

Os dentistas cheiram o seu medo (e isso é mau)

COMPARTILHAR

Conor Lawless / Flickr

Um estudo com alunos de odontologia revelou que os dentistas podem literalmente sentir o cheiro do medo ou da ansiedade dos seus pacientes, aumentando assim a probabilidade de ter um pior desempenho.

Segundo a investigação, publicada na Chemical Senses, os dentistas conseguem sentir o cheiro de um paciente ansioso ou com medo, tornando-os mais propensos a cometer erros e a ter um desempenho mais fraco. Isto só é possível graças aos chemosignals, “sinais químicos” que os profissionais vão recebendo ao longo da consulta através do odor corporal dos pacientes.

Os investigadores não sabem até que ponto estes sinais químicos influenciam os seres humanos, mas acreditam que as nossas emoções podem ser transmitidas através do nosso cheiro.

De acordo com os autores do estudo, esta é a primeira avaliação real de como a ansiedade pode ser comunicada através da transpiração. Para determinar se o odor corporal pode ser desencadeado por emoções, os investigadores pediram a 24 estudantes de odontologia que doassem duas camisolas: uma usada durante um exame com altos níveis de stress e outra utilizada numa palestra calma.

Depois de recolhidas, as camisolas foram mascaradas com uma substância química que tornou impossível diferenciar o cheiro entre as duas camisolas em experimento. No entanto, as assinaturas químicas dos alunos ainda estavam presentes, mesmo que não fossem percetíveis.

Estas camisolas foram depois colocadas em manequins, onde um segundo grupo de alunos  foi depois realizar trabalhos odontológicos avaliados por instrutores. Na maioria dos casos, os estudantes executaram um trabalho pior nos manequins que vestiam as camisolas usadas durante o teste. E, por isso, tinham maior probabilidade de danificar os dentes do manequim.

Embora os investigadores não tenham a certeza se os dentistas já formados tivessem a mesma resposta, acreditam que este estudo prova que o cheiro da ansiedade pode desencadear o mesmo sentimento naqueles que o cheiram sub conscientemente. Neste caso em concreto, a ansiedade e o medo do paciente transmitem-se para o dentista.

A comunicação quimiossensorial é capaz de transmitir uma série de estados mentais, como emoções ou doenças, bem como características como individualidade e género. O nosso próprio cheiro pode até ajudar-nos a encontrar um parceiro geneticamente apropriado e a formar laços emocionais com os nosso filhos.

Ainda pouco se sabe sobre como os cheiros nos podem ajudar a interpretar a felicidade, mas estudos mostram que podemos usar os cheiros dos outros para interpretar possíveis ameaças como tristeza, agressão ou repulsa.

A ansiedade dentária é um problema real. Até 20‰ das pessoas relatam stress ao visitarem o dentista, preferindo ignorar as consultas e arriscar a sua saúde bucal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 2 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.