Início Ciência Sobreiro já tem o genoma descodificado

Sobreiro já tem o genoma descodificado

COMPARTILHAR

O sobreiro, declarado árvore nacional no final de 2011, já tem o seu genoma revelado graças a um grupo de investigadores portugueses.

O sobreiro de Montargil, escolhido para o projeto de investigação Genosuber, viu o seu genoma ser anunciado ao mundo esta terça-feira.

Uma equipa de cientistas portugueses foi a responsável por descodificar a primeira sequência do genoma do sobreiro, tendo divulgado uma versão preliminar, considerada “uma importante ferramenta para o avanço do conhecimento da genética” da árvore.

Embora se trate de uma versão preliminar, “é muito útil e já é a informação mais completa jamais disponibilizada à comunidade”, disse à Lusa Marcos Ramos, do Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL), uma das instituições portuguesas envolvidas no projeto GenoSuber – sequenciação do genoma do sobreiro.

Esta versão é “uma importante ferramenta para o avanço do conhecimento da genética do sobreiro”, em particular para as equipas de investigadores portugueses que “há muito aspiravam aceder à sequência do genoma da árvore para alicerçar os seus trabalhos de investigação científica e de apoio à fileira do sobreiro e da cortiça”.

A versão foi revelada num artigo científico publicado na Nature e está disponível para todo o mundo na base de dados internacional e gratuita do Centro Nacional de Informação Biotecnológica da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos.

Através do ‘GenoSuber’, a equipa de cientistas coordenada pelo CEBAL “identificou a sequência de mais de 900 milhões de pares de bases do ADN de uma árvore selecionada”, o sobreiro HL8, que “cresce desde o século XIX na Herdade dos Leitões”, no concelho de Ponte de Sor, distrito de Portalegre.

Esta missão de descodificar o genoma do sobreiro começou no final de 2013, com financiamento comunitário, através do programa InAlentejo, e de vários patrocinadores privados, lembrou o investigador.

Em termos comparativos, “o genoma do sobreiro é maior do que o do arroz, mas tem apenas 1/3 da dimensão do genoma humano“, disse Marcos Ramos. Mas o estudo não vai ficar por aqui. Os cientistas querem “aprofundar e aperfeiçoar” a versão preliminar já tornada pública. Uma versão mais desenvolvida deverá ser divulgada ainda este ano.

Em paralelo, a equipa está também “a investigar os processos biológicos envolvidos na formação e na qualidade da cortiça” e a gerir uma população de sobreiros F1, “a única população de sobreiros com pedigree conhecido”.

O GenoSuber é o maior projeto de sequenciação levado a cabo no nosso país. “É particularmente relevante que tenha incidido sobre o sobreiro, que é um dos maiores símbolos nacionais”, sublinhou o investigador.

O projeto já conquistou o prémio Vida Rural Alqueva, em abril de 2015, e o prémio de Empreendedorismo e Inovação do Crédito Agrícola, na categoria “Projetos de Elevado Potencial Promovido por Associado do Crédito Agrícola”, em dezembro de 2015.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

four × five =