Início Ciência Pode ter sido encontrada a solução para comer sem engordar

Pode ter sido encontrada a solução para comer sem engordar

COMPARTILHAR

Uma equipa de investigadores pode ter descoberto como resolver o problema da obesidade, e como comer sem engordar. Eles conseguiram bloquear a absorção de gordura por parte do corpo, mas, para já, só em ratos.

Esta investigação pode levar ao desenvolvimento de um medicamento que permita continuar a comer grandes quantidades de gordura sem engordar. Mas até que isso seja realidade nos humanos, ainda há um caminho a percorrer.

Na pesquisa publicada no jornal científico Science, explica-se que foi dada uma dieta rica em gordura a ratos, durante oito semanas. Alguns destes ratos ingeriram um medicamento para bloquear a produção da proteína VEGF-A (factor de crescimento endotelial vascular A) que estimula a produção dos vasos sanguíneos.

Quando se bloqueia a VEGF-A, “previne-se que a gordura alcance os pequenos vasos linfáticos”, onde é “transferida para o intestino através dos poros”, nota o site Wired que divulga o estudo.

O medicamento dado aos ratos conseguiu fazer esse bloqueio e os animais não engordaram, enquanto os que não tomaram a substância duplicaram o peso.

“Se isto resultar nos humanos, então toma-se um comprimido mesmo antes da refeição e este fecha o intestino à absorção de lípidos”, explica ao Wired o professor Alan Mackie da Universidade de Leeds, no Reino Unido, um dos investigadores envolvidos no estudo.

“Descobrimos que um mecanismo molecular para fechar estes poros inibe a absorção de gordura nos ratos”, acrescenta a investigadora Anne Eichmann da Universidade de Yale, nos EUA. “Em vez de ser absorvida pelos tecidos, muita da gordura é excretada nas fezes e os ratos não ganham muito peso numa dieta rica em gordura”, acrescenta.

Os inibidores de VEGF já são usados para tratar pacientes com glaucoma e baixos níveis desta proteína foram também associados com a perda de peso em doentes com cancro da mama, refere ainda Alan Mackie.

Os investigadores notam que o tratamento inibidor de VEGF teve efeitos secundários em alguns ratos que desenvolveram edema, já que o bloqueio da gordura também afectou a absorção de líquidos. Este dado pode complicar o próximo passo provável, que seria estudar o impacto da droga nos humanos, como alerta Alan Mackie.

SV, ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

17 + seven =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.