Início Ciência NASA revela fotografia de disco voador (e conta a sua verdadeira história)

NASA revela fotografia de disco voador (e conta a sua verdadeira história)

COMPARTILHAR

USAF 388th Range Sqd. / Genesis Mission / NASA

Qualquer espécie que alcance as estrelas está condenada a acabar com as pontas dos dedos chamuscadas. Uma das últimas publicações da NASA no site Astronomy Picture of the Day é um lembrete dos percalços da nossa história espacial.

“Um disco voador do espaço caiu no deserto de Utah após ser detetado por radar e perseguido por helicópteros”, afirma a descrição da fotografia publicada no site Astronomy Picture of the Day. Ainda assim, a NASA não está a insinuar que tenha havido uma visita alienígena neste deserto.

O disco enterrado na areia era, na verdade, a cápsula de retorno da sonda espacial Genesis. Lançada a 8 de agosto de 2001, a missão Genesis foi o ambicioso esforço da agência espacial para enviar uma nave com o objetivo de recolher amostras de vento espacial.

Ao recolher dados sobre a composição das partículas carregadas que fluíam da coroa do Sol, os investigadores esperavam determinar com precisão a composição da estrela e aprender mais sobre os elementos que estavam por perto quando os planetas do Sistema Solar foram formados. Para nos trazer essas amostras, a sonda Genesis foi equipada com uma cápsula de retorno.

A nave capturou o vento solar ao dobrar uma série de painéis, cada um carregado com materiais de alta pureza, como alumínio, safira, silício e até ouro.

“Os materiais que usamos nas matrizes dos coletores da Genesis tinham que ser fortes o suficiente para serem lançados sem quebrar; reter a amostra enquanto eram aquecidos pelo Sol e ser puros o suficiente para podermos analisar os elementos do vento solar”, explicou a cientista do projeto Amy Jurewicz, no dia 3 de setembro de 2004.

Cinco dias depois, esta cápsula e as suas preciosas matrizes atingiram o solo em Utah, a uma velocidade de 310 quilómetros por hora – algo que não deveria ter acontecido.

Exatamente 127 segundos após reentrar na atmosfera, o morteiro a bordo da cápsula deveria ter explodido, libertando um para-quedas preliminar para desacelerar e estabilizar a descida. Aí, o para-quedas principal deveria abrir, fornecendo à cápsula uma descida suave até ao solo.

Após uma investigação minuciosa, descobriu-se que o erro se devia a um pequeno conjunto de sensores: eles haviam sido instalados de cabeça para baixo. Esses pequenos dispositivos detetaram as forças quando a cápsula caiu em direção ao solo.

Infelizmente para a missão, o impacto causou sérios danos, destruindo vários arranjos e contaminando a preciosa carga que continha. No entanto, a missão não foi um fracasso. Alguns dos materiais resistentes dos coletores sobreviveram, e os investigadores conseguiram limpar as superfícies sem perturbar o material solar embutido no interior.

Com Genesis, aprendemos detalhes sem precedentes sobre a composição do Sol e as diferenças elementares entre a nossa estrela e os planetas internos do Sistema Solar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

eight − seven =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.