Início Economia Lidl vai vender canábis na Suíça

Lidl vai vender canábis na Suíça

COMPARTILHAR

Com a alteração da lei suíça, o Lidl vai vender canábis cultivado localmente, desde que não tenha mais de 1% de THC, a principal substância psicoativa.

O mais recente produto que se poderá encontrar na cadeia de supermercados Lidl, na suíça, é, definitivamente, um produto que não se encontra em qualquer lado: canábis.

Sete anos depois de uma alteração à lei ter permitido que maiores de 18 anos pudessem comprar e consumir canábis – sem mais de 1% de tetrahidrocanabinol (THC), o principal químico psicoativo da planta -, a cadeia alemã apostou na venda deste produto.

São dois os produtos derivados do cânhamo que serão vendidos nas lojas junto aos produtos de tabaco, e como alternativa aos mesmos, principalmente ao tabaco de enrolar.

De acordo com o The Guardian, os preços são basicamente o dobro dos produtos relacionados com tabaco de enrolar. Pelo que, 1,5 gramas de canábis que cresceu em ambiente interior custam praticamente 15 euros – 17,99 francos suíços. Os pacotes de 3 gramas custam cerca de 16,7 euros – 19,99 francos suíços -, mas advêm de plantas tratadas em estufa.

As novas embalagens podem ser encontradas ao lado de cigarros eletrónicos e charutos, nas máquinas automáticas. De acordo com o jornal britânico, o novo produto do Lidl é produzido para proporcionar um efeito relaxante e anti-inflamatório e não para causar um efeito inebriante.

De acordo com os produtores, a canábis que está à venda no Lidl tem elevados níveis de canabidiol (ou CBD): “As variedades legalmente cultiváveis contêm apenas quantidades muito pequenas de THC e uma alta proporção de CBD.” Estudos científicos têm evidenciado os benefícios do canabidiol tanto para o sistema nervoso, como também ao nível imunitário, digestivo, cardiovascular e hormonal.

A lei suíça, alterada em 2011, prevê que as pessoas com mais de 18 anos comprem e consumam canábis que não tenha mais de 1% de tetrahidrocanabinol (THC), a principal substância psicoativa.

Um comunicado da cadeia alemã diz ainda que as plantas são “legalmente cultivadas” e não têm químicos, nem substâncias modificadas sinteticamente ou geneticamente.

Fonte: ZAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

11 − 7 =