Início Mundo Deficiente físico busca competir em paraolimpíada e inicia vaquinha para realizar seu...

Deficiente físico busca competir em paraolimpíada e inicia vaquinha para realizar seu sonho

COMPARTILHAR
Natanael busca conseguir comprar uma handbike para locomoção no seu dia a dia e competir como atleta paralímpico.

Nataneal é português, mas vive no Brasil há alguns anos em João Pessoa, na Paraíba. Ele tem uma deficiência motora que o impede de andar, mas nutre o sonho de ser um paratleta.

Para isso, Natanael iniciou uma campanha nas redes sociais e no site vakinha.com para comprar uma handbike, que custa 3 mil Reais(700 euros), e hoje está fora de suas condições financeiras: “Quando vim há 5 anos de Portugal, a Europa estavam em crise.  Vim e tinha aqui meu pai em João Pessoa, que me recebeu. Como tenho deficiência motora de nascimento, recebi muitas palavras de reprovação, que diziam que se na Europa não conseguia emprego, tampouco aqui”.

Natanael conta das dificuldades que enfrenta no país, mas que felizmente no Brasil, conseguiu trabalhar, enquanto na época em Portugal não conseguia emprego, principalmente por ser deficiente: “Aqui no Brasil, devido a lei das vagas para pessoas com deficiência, que na Europa não existe, arranjei emprego. Já trabalhei em shopping, empresa de construção, associação de deficientes, no Detran e em empresa de energia. Porém agora com a crise no Brasil, minha companheira está desempregada e moro com ela e minha filha de 3 anos de idade na casa da minha sogra.”

Natanael apesar de todas as dificuldades, nutre em si o sonho de superá-las e ser um atleta paralímpico. Essa motivação veio principalmente das suas dificuldades motoras e da falta de acessibilidade nas ruas e locais públicos no Brasil: “como tenho a deficiência motora e trabalho sentado, fico parado boa parte do tempo. Isto está me fazendo mal, e  preciso de fazer exercícios para manter a mente também saudável. Há muitas dificuldades aqui na região de adaptação das vias públicas para deficientes, e as academias aqui são distantes e também com pouca acessibilidade. Assim motivei-me a buscar superar todas essas dificuldades e praticar o handbike. Tenho amigos que andam de handbike e me incentivam,  e por isso estou a pedir ajuda para comprar uma handbike e realizar meu sonho”.

O Brasil é considerado um dos melhores países para deficientes, há quem diga que um deficiente no Brasil tem mais chances de emprego que uma pessoa normal devido às leis que obrigam as empresas a empregar deficientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

nineteen − 11 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.